72 Anos da Declaração dos Direitos Humanos. Uma data para celebrar ou refletir?

72 Anos da Declaração dos Direitos Humanos.  Uma data para celebrar ou refletir?

72 Anos da Declaração dos Direitos Humanos. Uma data para celebrar ou refletir?

15/12/2020

[caption id="attachment_233" align="alignleft" width="150"] People vector created by freepik - www.freepik.com[/caption]

No último dia 10 celebramos um aniversário importante para toda a humanidade: os 72 anos da promulgação da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Em dezembro de 1948, liderados pela então primeira dama americana Eleanor Roosevelt e apoiados pela ONU, 193 países decidiram adotar um documento que buscava trazer paz à todas as nações do mundo e garantir a integridade dos direitos fundamentais à todo ser humano.

O que motivou a criação desse documento há 72 anos atrás foi o fim da Segunda Guerra Mundial.  Uma época em que atrocidades haviam sido cometidas por governos nazifascistas e o mundo parecia estar dividido entre naçōes do bem e nações do mau.

Qualquer semelhança com os dias de hoje talvez não seja mera coincidência.  Infelizmente.

Por isso, a Declaração dos Direitos Humanos continua sendo um documento atual e tão importante para guiar não só lideranças políticas, mas também a conduta da sociedade como um todo.

No Brasil temos ainda uma vantagem jurídica perante outros países já que os direitos humanos são garantidos na Constituição Federal de 1988.

Infelizmente essa vantagem é apenas teórica pois temos muita dificuldade de tirar esses princípios do papel.

A Declaração consiste em 30 artigos que traduzem direitos fundamentais de todo e qualquer individuo independente da sua origem, raça, gênero, idade, nacionalidade, classe social ou posicionamento politico.

São 30 princípios básicos que parecem tão óbvios e simples, mas que infelizmente não fazem parte da vida de muitas pessoas.

Pensemos juntos: em quais países, cidades, bairros ou comunidades, distantes ou próximos de nós, temos conhecimento que existem pessoas que vivem sem uma, duas ou mais dessas condições a seguir?

  1. Garantia de liberdade, dignidade e igualdade desde o nascimento.
  2. Ausência de discriminação.
  3. Direito para todos de viver com liberdade e segurança.
  4. Ausência de trabalho escravo ou qualquer forma de trabalho que se assemelhe a isso.
  5. Ausência de tortura ou qualquer forma de punição que envolva violência ou maltrato.
  6. Reconhecimento das pessoas tal como elas são ou escolham ser.
  7. Garantia de que a Lei será igualmente aplicada para todos.
  8. Direito de proteção legal caso seus direitos sejam violados.
  9. Garantia de que ninguém será preso injustamente.
  10. Direito para todos à um julgamento público, caso esse se aplique.
  11. Inocência para todos até que se prove o contrário.
  12. Direito e respeito à privacidade de cada um.
  13. Direito de ir e vir dentro ou fora de seu país.
  14. Direito à um lugar seguro para viver.
  15. Direito à uma nacionalidade, a pertencer a um país.
  16. Direito à se casar e formar uma família de acordo com escolha de cada um.
  17. Direito de possuir suas próprias coisas e bens sem que lhes sejam tomados sem justificativa.
  18. Liberdade de pensamento.
  19. Liberdade de expressão e opinião, por mais diversa que seja.
  20. Direito de se reunir com outras pessoas publicamente.
  21. Direito à democracia, à participar das decisões dos seus governos.
  22. Direito à segurança social, incluindo moradia, educação e saúde.
  23. Direito à um trabalho remunerado e com direitos trabalhistas.
  24. Direito ao lazer e descanso.
  25. Direito ao bem-estar básico como vestuário, alimentação, higiene e cuidados essenciais.
  26. Direito à educação.  Gratuita na infância e obrigatória no ensino elementar.
  27. Direito à proteção autoral.
  28. Direito à um mundo justo e livre.
  29. Consciência de que todas as pessoas tem deveres e responsabilidades perante aos outros e à comunidade onde vivem.
  30. Garantia que ninguém ou nenhuma instituição irá lhe tirar os Direitos Humanos.
Por Valeria Barbosa, colaboradora voluntária do IMA.

Impermanência
07-25-21

Têm dias em que acordamos com o pé direito, felizes, com um sorriso no rosto, dando bom dia para as pessoas com as quais vivemos, para as pessoas que encontramos no elevador, para os passarinhos, as flores e até para a nossa própria sombra. Mas t ...

SAIBA MAIS
Falar sobre empatia é fácil
07-25-21

Falar sobre empatia é fácil. O difícil é colocá-la em prática. Exercer empatia é um desafio horário porque, não raro, nos deparamos com situações desconfortáveis que colocam em cheque nossas certezas. Sempre que posso, pergunto se é mais ...

SAIBA MAIS
A comunicação feminista pode salvar vidas
07-25-21

Jornalistas amam dados, números que ajudam a mostrar o tamanho de um problema ou da solução. O índice de analfabetismo de um país, números de mortos em uma guerra, a quantidade de pessoas infectadas por uma nova doença. Acontece que, depende ...

SAIBA MAIS
Pela Vida Segura das Crianças e Adolescentes Paulistas
07-25-21

Cada vida adolescente importa, e é possível e urgente prevenir mortes violentas na adolescência. Essa certeza orienta a atuação do Comitê Paulista pela Prevenção de Homicídios na Adolescência (CPPHA) frente ao desafio da violência letal qu ...

SAIBA MAIS
Apaixonada por Histórias por Luanda Vieira
07-25-21

A jornalista Luanda Vieira conta sua história para blog do Instituto Mundo Aflora. Uma mulher sonhadora e determinada que conquistou seus sonhos e que nos inspira. ...

SAIBA MAIS
Dia do Orgulho LGBTQIA+. Porque ele é necessário.
07-25-21

Falamos um pouco sobre a nossa visão da necessidade de ter um dia para refletir e celebrar o amor, independente de qualquer coisa. ...

SAIBA MAIS
30 anos do Estatuto da Criança e do Adolescente
07-25-21

A 30 anos o Brasil fez uma escolha que mudou os rumos da política pública da infância e adolescência em nosso país, promulgando aquele que seria, e ao nosso ver ainda é, a mais importante legislação infra-constitucional do país: O Estatuto d ...

SAIBA MAIS
Minha história, contada por mim.
07-25-21

Jessica* é uma jovem que teve que amadurecer cedo demais, com 9 anos, com a infância roubada acabou se envolvendo com amizades erradas e passou um tempo no sistema socioeducativo. Você já parou para escutar a história de uma jovem com esse passa ...

SAIBA MAIS
Gota no Balde
07-25-21

Podemos ser a primeira ou a última gota no balde de alguém, mas o que importa é sabermos que podemos todos impactar a vida de outra pessoa e contribuir para a sua transformação pessoal. ...

SAIBA MAIS
Setembro Amarelo. A importância de falar sobre o que se sente
07-25-21

A campanha Setembro Amarelo é uma iniciativa para ajudar a acabar com o tabu de se falar sobre suicídio. O que preocupa no Brasil é que o maior aumento de suicídios é registrado entre jovens de 15 a 25 anos. Precisamos falar abertamente sobre o ...

SAIBA MAIS
Vozes Negras, Um Assunto de Todos Nós
07-25-21

Ter voz não é só ter permissão para “falar”.  Ter voz é falar e ser verdadeiramente escutado, é ser considerado e respeitado como cidadão e como ser humano. ...

SAIBA MAIS
Todo Dia é Dia de Doar
07-25-21

Doar não deve ser apenas uma forma de reparar e aliviar nossas atitudes consumistas.  ...

SAIBA MAIS
Minha história contada por mim, Esther.
07-25-21

Meu nome é Esther e quero contar minha história para vocês. ...

SAIBA MAIS